sexta-feira, 17 de abril de 2009

Desencontro.

O acaso é uma coisa gostosa.
Encontros por acaso, olhares, sorrisos, beijos e paixões por acaso são sempre instigantes. O acaso dá a impressão de que "era pra ser" e vai envolvendo a gente.
O legal de se conhecer alguém assim - inesperadamente - é que a gente nunca sabe como está a cabeça do outro. Muito menos o coração.
Então acontece aquele "teatro do encaixe", onde vamos dizendo o que o outro quer ouvir para ouvirmos o que queremos (e impressionantemente ouvimos mesmo!).
E o que pensar quando, depois de uma noite de música boa e de alguns finais de semana juntos, descobre-se um desencontro de emoções?

Vocês, eu não sei. Eu pensei assim:

E assim era...
Havia tanto que se tinha
Mas tão pouco que se queria
Tampouco precisasse tanto,
do tanto que ainda havia.
A via com tantos olhos
Olhos que tão pouco viam
E o que tinha era tanto, tanto
que seu coração não queria.

(escrito em 31/8/2008)

Nenhum comentário: