quarta-feira, 22 de abril de 2009

Insensatez (Semeando o amor)

“Vai, meu coração, ouve a razão
Usa só sinceridade
Quem semeia vento, diz a razão
Colhe sempre tempestade..."


Semear vento.

Onde estão os homens com seus chapéus e ternos e sapatos engraxados que, tão formal e honestamente, seguiam pelas ruas de casas enormes com suas portas de madeira boa, de balaústres e belos alpendres entre portões em grades, a buscar suas admiráveis namoradas que esperavam doces e perfumadas, por debaixo de vestidos longos e chapéus delicados em tons de branco e amarelo?

Não importa em que época você esteja. O amor é sempre o amor.
Sofrido, injusto, ciumento, doloroso e agressivo amor.
Bonito, ingênuo porém quente, companheiro e fiel amor.

Há quem semeie vento. Há quem saiba da tempestade que está por vir, e insista em jogar sementes erradas no terreno certo. Ou sementes certas no terreno errado. E não falarei das outras duas situações restantes porque a idéia já está clara.

Entretanto, há quem semeie ternura. Semear ternura significa acompanhar cuidadosamente o amor que nasce. O amor surge e vai crescendo, desabrochando e amadurecendo lentamente. Há vezes que se demora muito tempo para se perceber o quanto é sólido e preciso (O quanto é bom.). Há vezes que se percebe rapidamente, dando ainda mais cuidado e carinho ao amor que está nascendo.
E há outra situação que é quando se confunde. Pois quando se planta ternura, os primeiros sinais de crescimento são avassaladores. É o começo, quando se explode e se vê que está nascendo um sentimento lindo que tem tudo para ficar. Agora o cuidado: não se pode pensar que o amor é só isso. Vai além, muito além. Quem aqui pode dizer o quanto?

Quando tiveres algo de bom para semear, semeie com dedicação. Crescem com o amor os espinhos, as folhas imperfeitas, os galhos retorcidos. Corte-os! Esses são a insegurança, os problemas externos e os truques do destino.
Porém, não importa onde tenha plantado e nem mesmo de que forma o tenha feito. Se desejares que exista amor, semeie protegendo dos animais que passam pisoteando tudo, das pragas e dos incêndios. Proteja seu amor das mentiras, sendo leal. Das competições, sendo companheiro e das crueldades, sendo justo.

Vento.
Semeando vento colherás, sim, uma brava tempestade.
E concorde comigo que é melhor cuidar agora do que você tem e que pode crescer ainda mais, do que tentar salvar depois. Depois, é impossível.

Nenhum comentário: