quarta-feira, 1 de abril de 2009

Nota-me.

Dó.
É necessário sair,
sair um pouco daqui
sair de dentro de Si.
Ir para o lado de fora
E por que não ir agora?
Para Lá.
Pois então Faça.
Faça o que eu faço, e não fale.
Ou se falar, fale baixo.
Cale-se, cale-se, cale-se.
Mitos de milo, em mimos
milhas e milhas
a pé.
Milhas e Milhas
em Ré.
Natural até, em Dó.
Não, meu bem, não tenha Dó.
Que nos versos que não têm Sol
há um acidente, um bemol,
seus traços deixados Lá
Nos traços de um lençol.
O amor começa em Si.
O amor, meu amor, começa
em Mi.

(escrito em 21/10/2008)

Nenhum comentário: