quinta-feira, 18 de junho de 2009

Soco no estômago.

(Créditos da Imagem: Camerino Neto)

Tento ser o melhor. Dar o melhor de mim, mostrar a que vim. Tento, pois tanto já passei e vivi, já conheci e experimentei, que consigo distinguir o que é ou não melhor para a minha vida. Até agora.

Quando em sociedade, muito embora tenha problemas com as pessoas, procuro ser pacífico. Respeitar opiniões, argumentar e ouvir argumentos. Dou espaço, mesmo que muitas vezes não receba, mas eu deixo as pessoas serem como eles querem pois isso as faz sentirem melhores. Não sou do tipo que protesta, que briga e reivindica. Procuro um acordo, e essa passividade nem me incomoda tanto assim. Só tento fazer as coisas acabarem bem.

Gosto de algumas pessoas, de verdade. E para com essas eu procuro ser ainda melhor, pois o bem que elas me fazem sentir, as tornam merecedoras do meu bem.

Não faço sacanagem, não jogo sujo, respeito. Isso não é uma decisão minha, mas sim uma característica que vem de criação, da forma como eu cresci e aprendi. Não tenho escolha, é assim que funciona, e nem quero ou pretendo mudar.

Gosto da palavra lealdade, e é isso que eu tento praticar. Ser leal, e jogar as cartas na mesa, o preto no branco, os pingos nos “i”s, ou a forma como eu quiser citar “clareza”.

Vejamos:
--
carácter (át ou áct)caráter (át) ou carácter (áct) (latim character, -eris, sinal, marca) - s. m.
1. O que faz com que os entes ou objectos|objetos se distingam entre os outros da sua espécie.
2. Marca, cunho, impressão.
3. Propriedade.

4. Qualidade distintiva.

5. Índole, génio.

6. Firmeza.

7. Dignidade.

8. Artes gráf. Molde de letra escrita.
9. Sinal, figura (usada na escrita).

10. Artes gráf. Tipo de imprensa. = letra

11. Sinal de abreviatura.

12. Med. Aspecto|Aspeto.
Pl.: caracteres|carateres.

Dupla grafia pelo Acordo Ortográfico de 1990: caráter ou carácter

Grafia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990: carácter


--
Achados um, quatro, cinco e sete. Dou valor a eles pois são itens que me ajudam a ser essa pessoa que vos escreve. São itens da construção, do todo. São o que me diferenciam de outra pessoa (e de seu caráter, seja ele bom ou mau) e me fazem único.

E eu sigo minha vida dessa forma, buscando cada vez mais discernimento para escolher o que faz parte de mim e o que não faz, tentando respeitar, considerar os contextos levando em conta os conceitos, tudo isso, para ouvir que sou um mau-caráter?

Nesta fase que estou passando, de renovação e busca, de luta, de anseios, ouvir isso não é nada bom. Me desconstrói, me abala e me faz sentir pior. Tento dar o meu melhor, fazer o melhor, lutar pelo amor e pela paz, pelo amor em paz inclusive, e sou ofendido. É um tapa na cara.

Outra:
--
hipocrisia - s. f.
1. Fingimento de bondade de idéias ou de opiniões apreciáveis.

2. Devoção fingida.

--
Então em seguida ouço: hipócrita! Por Deus, agora um soco no estômago.

Entendo a dificuldade de acreditar nas pessoas – haja vista maldade existente no mundo - e também o julgamento culpado dado a qualquer um, até que nos provem o contrário, por isso tenho que relevar. Aliás, tenho que relevar?

É difícil ser colocado injustamente em um grupo onde não se quer estar. É difícil quando não acreditam em você, e mais ainda, quando as pessoas que não acreditam são próximas de você.

Nunca gostei de ter que provar aos todos o que sou. Gosto de viver, e de deixar assim que as pessoas pensem o que quiserem. Se sentirem vontade de falar para mim o que sentem, melhor ainda, afinal críticas construtivas são, sim, bem vindas.

Agora, ou ainda me falta muita consciência de auto-análise para entender “mau-caráter” e “hipócrita” como crítica construtiva, ou, tem alguma coisa muito errada por aqui.

*Significado das palavras encontrados em: Dicionário Priberam

2 comentários:

Érika disse...

Se a nossa essência é aquela que julgamos ideal para crescermos com dignidade junto à sociedade, a qual (ainda) exige, e nos faz nos sentir bem assim como somos, jamais deixe que palavras insignificantes marquem seu caminho. Você é mais que isso.

Luana disse...

Eu afirmo com certeza, deve ter alguma coisa errada.
Mas dói, realmente dói, quando nos são próximas, essas pessoas, que as vezes, sem pensar, nos dizem coisas que não deveriam dizer. Ouça, "as vezes sem pensar". E você já parou para pensar, que talvez isso sirva, para uma re-avaliação do que, e de quem anda sendo ultimamente? Não, que eu esteja concordando com o que te disseram, mas mesmo não sendo uma crítica construtiva, toda crítica acaba servindo, de um forma, ou de outra. Pelo menos, eu, eu acredito que sim...