sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Poema de criança

Hoje o dia acordou tão cinza
Não tão longe do meu coração
Cinza, cinza, coração
Cinza, cinza, coração

Quando eu choro, eu tenho medo
Quando eu temo, peço perdão
Medo, medo, perdão
Medo, medo
Perdão?

Se eu tenho um pesadelo
Lembro do cinza do dia
Pesadelo, pesadelo
Pesadelo, dia, dia

Mas se acordo e está doendo
Não mais tenho meu coração
Está doendo, coração
Está doendo, meu coração

Um comentário:

Pipa. A que sonha. disse...

É que o coração se recolheu para funduras mais quentes. Lá a gente esquece do inverno. E imagina que ainda é verão.


Um beijo
Belo post.