segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Cabaret


- Oi, meu amor, que bom que chegou!
...
- Nossa, como está bonito, isso é tudo para mim?
...
- Ah, que bom, adoro te ver assim, todo elegante
...
- Sim, estava movimentado hoje, mas só pensei em você, viu?
...
- Claro que aceito, vamos tomar algo bem gelado, pra relaxar.
...
- Ai como você é lindo, faço inveja para todas com você!
...
- Não é conversa não, você sabe que não preciso disso, com ninguém...
...
- Ta bom então, vamos mudar de assunto.
...
- Também estou louca por você, vamos sair daqui?
...
- Então ta bom, só espera um pouco que vou me arrumar!
...
- Oi amor, tô pronta, vamos?
...
- Hum, que lugar lindo que você me trouxe, quero ver tudo!
...
- Com certeza, adoro qualquer lugar que você me traga...
...
- Isso, assim mesmo, meu Deus, meu Deus, meu Deeeus!
...
- Uau, como você é incrível.
...
- Sim, podemos ir, você me leva?
...
- Temos mais algumas horas, você é quem sabe, amor.
...
- Obrigado pela carona, e volta quando quiser.
...
- Claro que te espero!
...
- São trezentos reais, meu amor.

2 comentários:

Renato Menezes disse...

Parabéns! Agora, você, realmente, definiu, explicou. Exatamente isso. Como é prazeroso estar conectado ao contexto.

Muralha disse...

"Claro que adoro suas irmãs, elas que implicam comigo. Amanhã eu paro, prometo. Amor, não precisa ter ciúmes, ele é gay. A próxima conta eu pago. Já estou chegando. Tô aqui na esquina. Eu não estou bebada. Ai, adoro sua barriguinha. Não precisa me dar nada de aniversário. Eu não demoro, nem vou lavar o cabelo. Faz você, eu não sei fazer café. Não tenho ideia de onde veio essa batida no paralama. Baby, hoje tenho uma reuniãozinha com as amigas, até te convidaria = ,as só vão as meninas. -contra capa de AS VERDADES QUE ELA NÃO DIZ - Marcelo Rubens Paiva