quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Pretérito Imperfeito




Então, chegaria.

Eu, com meu terno preto, completo, e meu chapéu. É, o chapéu é peça chave.

Desceria da charanga e, tão natural como conheceria a palavra charanga, abriria o portãozinho baixo na altura das mãos e lá estaria você.

Encostada de lado, com a porta aberta, a minha espera: Linda, com seus cabelos curtos beirando os ombros, seu vestido longo rodado, a pele branquinha e aquele belo sorriso. Você me olharia, linda, e mediria cada centímetro de minha chegada: desde os meus sapatos pretos - impecáveis, por sinal - até minha sombrancelhas grossas e meu olhar que tanto te invade.

Te abraçaria como se não te ver desde hoje de manhã fosse uma eternidade, e lhe mostraria, charmoso, a flor que discretamente roubaria do jardim da praça. Aquela rosa, que tu tanto gostaria de receber.

Seria lindo, pois após um beijo carinhoso, você tiraria meu paletó e perguntaria do meu dia. E antes mesmo de responder, eu te pegaria no colo - pequenina que tu serias - e te deitaria no sofá, pois tu serias minha. Assim iríamos sorrir e eu te contaria que a melhor parte do meu dia é te ver assim, sorrindo, enquanto me vê chegar.

E após o longo papear, iríamos até a sala de jantar, onde o mesmo estaria servido. Eu pegaria a tua mão e, olhando nos teus olhos, diria:

- Você é a melhor parte de mim.

Sabe que você iria gostar tanto, que me abraçaria apertado e me beijaria até sufocar. Tu sabes que gosto disto. Então após o jantar tudo iria ser perfeito, pois colocaria teus pequenos pés sobre os meus, e assim te levaria, no ritmo daquele bolero atraente, até o nosso quarto.

Com a luz baixa e as cortinas ligeiramente abertas, faríamos amor intensa e loucamente. Teríamos tanto desejo um para com o outro, que não sobraria tempo para mais palavras: apenas nossos suspiros de prazer é que ecoariam no ar.

Eu viveria bem, assim.

Um comentário:

Carolina Vicentini disse...

"Desceria da charanga e, tão natural como conheceria a palavra charanga"
hahaha! você é demais, negão!