quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Privilégio



Chuva de balas, ricochetes, gritos e sussurros ameaçadores. Tapo os ouvidos, agacho-me e ponho a cabeça entre os joelhos.
Ninguém se esforça e, por isso, nunca irão entender.
O prazer dentro da dor e os ferimentos de qualquer alegria são para todos. Contudo poucos os que sabem que eles existem, os que arquitetam, e engolem em seco.
Nós.

Um comentário:

Pipa. A que sonha. disse...

Mas que diabos é isso?

Como se atreve a ser: O lenhador o dono da "pobre" metáfora?


Sua riqueza literária me fascina. É demais sedutor para mim o poder de tuas palavras.


Outros, de tantos cumprimentos.