domingo, 22 de agosto de 2010

Crazy




Podia se ouvir de longe aquela força e energia boa que vinha de sua voz. Em sintonia com cada uma das notas musicais, formavam um casamento harmonioso, a forma intensa como era conduzido cada movimento em cima do palco e a incessante melodia.

E foi logo ao chegar no campo visual de onde vinha toda aquela mágica sensação, que pude enxergar: havia uma luz sobre aquele cantor. Algo surpreendente fazendo com que toda palavra que saía de sua boca, vestisse como luva nos ouvidos de cada uma das centenas de pessoas ali, frente ao palco, deixando-se envolver pela sua maravilhosa forma de também se envolver com elas.

Recebi um aceno, e com um sorriso verdadeiro e um envio de energia positiva, devolvi. E o show continuou, sutilmente carregado nas mãos daquele homem que, em vestes de menino, sabia exatamente o que fazer. Sua confiança e precisão fazia com que o encantamento no olhar de cada garota fosse inevitável, bem como a admiração e espanto de cada homem ali presente. Ele podia fazer o que quisesse, aquele era o seu momento.

Bastava olhar por um instante assim, mais atentamente, para perceber como ele estava "em casa". O lugar do artista é o palco, sim, mas ali era bem mais do que isso. Havia uma garra e uma dedicação total a cada uma das melodias, afinadamente cantadas, que tornava a qualidade dos sons cada vez mais impressionante. Pensei: "Ele está bem melhor do que antes".

Toda essa mistura de paz e confiança só poderia ter uma explicação: naquele momento ele, o dono deste show, tinha a certeza de estar cumprindo a sua missão. Levar o que se quer dizer, para aqueles com que se quer que ouçam, não é para qualquer um. Era pra ele.




E essa é uma simples homenagem a ti, meu amigo, porque tu consegues. Não há mais nada que se possa dizer, além de que, este mundo é seu.

Nenhum comentário: