sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Pequeno atraso.



 
Cidade velha, década de 50, 8h p.m.

 
Chego e encosto o carro frente à porta. Jaguar XK 120, “Não é para muitos” – penso rapidamente, enquanto alinho o terno frente ao vidro da porta que, em sua limpeza impecável, reflete minha imagem: Barba bem feita e um paletó preto, gravata com windsor, camisa branca e sapatos misteriosamente brilhando, dando ainda mais destreza a esta noite, que se inicia aqui, quando coloco meu chapéu: é hora de entrar.

Me recepcionam com meu sobrenome. Tiro do bolso meu relógio, e exibo sutilmente sua corrente de ouro. Guardo-o novamente, e após um sorriso, o aperto de mão: “Boa noite, Senhor”.


Por dentro do terno, guardo uma 44. Ok, tem uma na perna também. Não vim para matar ninguém, mas é preferível ter uma arma e não utilizar, do que precisar de uma e não ter ali, na hora.

O salão está bem iluminado e apenas com alguns passos, já posso sentir a mistura de perfumes femininos que tenta me hipnotizar. Vou direto à sacada, que tem uma bela vista, e me permito sacar o hip flask e tomar um pouco do meu Uísque. Como todo bom apreciador da vida, eu não deixo o cigarro de lado, acendendo-o com o bom e velho Zippo.



No bar, há um pianista preciso que minuciosamente desliza “Unforgettable”, dando a cama para a voz de uma linda jovem, que parece aproveitar da harmonia para transpirar toda sua sedução. Esqueço da vulgaridade, deixo para pensar em agarrar com firmeza aqueles cabelos longos mais tarde, e opto por olhar apenas seu belo sorriso.

Avisto, do outro lado da porta, um belo vestido longo realçando as formas delicadas de uma bela mulher. Ela me avista e, apenas com o lado direito da boca, sorri. Eu, com uma mão apoiando o queixo e a outra segurando o copo de uísque, o balanço o copo como quem oferece um brinde.




Não me restam dúvidas, que alguém lá de cima, me mandou aqui pra baixo bem atrasado.

Um comentário:

Renato Menezes disse...

Agora sim. Saudades de ler textos como esse. O meu tempo tem sido pouco. É bom estar aqui agora.