terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Por que as palavras?



 
Somente com as palavras é que consegui me dar bem.
Porque não há relação melhor entre você e você mesmo, que por meio de palavras. Os pensamentos vêm e vão rápido demais, o suficiente para não te dar chance de pegá-los. As imagens se perdem com o tempo, são subtituídas por outras, e a vida torna-se tão mais rápida a cada dia que passa que logo, logo, já foi embora.
Mas as palavras, não. Elas ficam.
Ficam quando se ouve, ficam quando se fala. Ficam quando se escreve, quando se lê, quando se guarda ou até quando se joga fora. Ficam, cravadas, apunhaladas.
Escolhi as palavras quando percebi a força que possuiam (e que possuem). É uma pena que poucos saibam de verdade sua potência, seu alcance e precisão. Escolhi as palavras porque podia usá-las tanto para o bem como para o mal. E nas próprias palavras podia escolher como ia ser: se ia acariciar, tocar, desejar, transar, amar ou; se ia atirar, flechar, agredir, humilhar, matar. Com palavras.
Resolvi arcar com as consequências: com as palavras, eu vi que também podia morrer. Podia morrer e morria, todos os dias, sem quase ninguém perceber. Nem sempre quem usa as palavras, sabe se optou mesmo por elas.
Por fim, escolhi as palavras porque delas pude criar estórias. Pude criar, e crio! Novos lugares, contextos, situações e emoções feitas de letras e rimas, de frases, sentenças, diálogos de travessão! E nas estórias, eu posso ser quem eu quiser, posso fazer o que quiser, e posso dar a mim as consequências das escolhas que eu mesmo fiz. Posso voar, posso morrer, e posso renascer de qualquer lugar.
Somente com as palavras é que consegui me dar bem.
Com as palavras, eu posso tudo.
Inclusive tornar tudo real.
Eu posso tudo.

2 comentários:

Menina no Sotão disse...

Eu não sei bem se escolhi as palavras (penso que não). Acho qeu fui atropelada por elas num caminho noturno, por certo. Estava andando a ermo e quando me dei conta, um vento forte tocou minha pele e eu me perdi pra sempre. Hoje, penso que me encontrei. As palavras me dão o poder de ser o que sou, sem me preocupar com o que passa longe de mim. Gostei daqui. Bacio

Luana disse...

(Eu te vi! E você continua lindo!)
Mas, mais lindo que você, é a forma como você escreve, e me comove, me envolve. Toda vez que venho aqui, mesmo que pouco, eu me encontro, sabia? me encontro, com as palavras, com o que você cria, me encontro de uma forma, que não me encontraria em outro lugar.
Beijos, e mais beijos, saudosos, sempre!