sexta-feira, 1 de julho de 2011

Mesa de Bar

Parece até que não, mas a mesa de bar diz muito sobre uma mulher.

Quando ele chegou, eu já estava ali. O vi lá de dentro, pelo vão da porta, enquanto ele conversava com um amigo qualquer. Suspirei, disfarcei, mas não deu pra desviar o olhar.

Fazia tempo que não via um homem charmoso assim. Em meio a um bar de jazz, que imita pub americano, mas só recebe brasileiro bixo grilo, de repente recebe um homem de verdade! Até dá para se estranhar, não por menos, é claro. Vestia-se casual, mas com um blazer que fazia jus aos cabelos e olhos negros, sorriso bonito, enfim. Meu número.

Meu papo com as meninas era o mesmo. Quintas e Quintas-feiras por aqui, e é sempre a mesma coisa: o ex que não a deixa em paz, a outra que vomita sempre depois que janta porque não gosta do próprio corpo, e eu aqui, morrendo de nervos daquele cara metido agora encostado no balcão.

O jeito que ele segurava aquele hip flask me excitava. Sem explicação, mas eu já me via sendo dominada por aquelas mãos, tirando aquele blazer e mordendo o homem inteiro. Entre outras coisas que não cabem aqui, certamente.

De repente, então, me aparecem dois caras estranhos distribuindo olhares. Este tipo sempre insiste em sentar na nossa mesa, querem comer, e estão esperando uma opinião de quem quer dar. O detalhe é que não precisa de muito para qualquer um deles pensar que vai acabar com qualquer uma de nós essa noite. Azar, porque ainda estou olhando ali para o moço, que não me dá nem um sorriso.

Resolvi dar uma corda para os dois, então. Um deles até que não era tão ruim, não fosse a vontade de mostrar que era irmão de alguém importante, sei lá, quem precisa disso? O outro então, melhor deixar pra lá...

E não é que perdi a oportunidade, mais uma vez?

Olha lá ele, indo embora. O ex futuro homem da minha vida, que dei tempo pra terminar de beber e ainda sair de fininho, e pior: não fiz nada. Eu falo, que quando é pra gente se dar mal, nem Deus impede.

Mas ele vai aparecer de novo, ah, se vai.

Se bem, que eu nunca o vi aqui antes. É, deixa pra lá...

Um comentário:

Gabriela F disse...

Seus contos são muito bons, é até clichê falar isso não é? rs Mas é verdade, são bons pra caramba, gosto de ler.