sábado, 9 de março de 2013

Silêncio


Sinto o valor do silêncio. Pressinto o mesmo acabar. Não o valor, mas é claro.
E acaba assim, quase sempre.

Invento sempre uma desculpa pra não dar na cara que o que eu quero é paz. E até me culpo por isso, quando aquilo que nem era pra dar certo acaba não dando mesmo. Não tem problema, no fundo (no fundo), não é por isso que eu estou aqui.

Estou aqui pela noite, pela paz, pelo ar, pelo clima. Pelo silêncio.

Porque a vida pode ser exatamente do jeito que eu quero, e é assim que eu penso que devo fazer. Por mais que eu ainda não esteja onde deveria estar, a carga é tão grande, que a fuga se faz vital. 

Preciso de silêncio, de horas de solidão. Por qualquer motivo, não consegui me abster dela. Já faz parte de mim não ser parte de nada.

Permito-me seguir então. E enfrentar o desafio da culpa que a rotina me traz, me fazendo sentir que não vale a pena.

Vale sim, só tenho que me convencer. Só assim é possível sobreviver, enfim.

Nenhum comentário: