segunda-feira, 29 de abril de 2013

A vida pode ser assim




Deixe-me olhar pra onde quer que seja. Pra onde eu quiser, porque se bem sei tu já sabes onde os olhos pesados, aqui, vão parar.

Permita-me perder-me em teu perfume, surrar-me com teus pelos, confundir-me em tua altura, acabar com seus cabelos, e depois me deixe te olhar o tempo que for.

Cala-me, então, se é disto que mais preciso. E apresenta-me esta leveza que já jogo fora o tal peso nas costas, e podemos então descobrir o caminho. Juntos.

E deixa que eu te diga então, que roleta russa se joga com cinco balas e uma livre. Não vale se não for assim.

Nenhum comentário: