segunda-feira, 3 de junho de 2013

Projeção

Desculpe a intromissão, meu grande amigo
Você chegar e ver-me aqui, sentado
É que eu sei, a tua porta, não se fecha
E hoje só estou bom pra tua conversa.
Sei que fazia tempo que não vinha
Mas saiba, não me esqueço, desta luz
Que entra pela fresta da janela
E deixa esta poltrona ainda melhor.
Não tô legal, mas sei, você não sabe
Nem meu bom velho uísque tem descido
Não tenho conseguido olhar nos olhos
Não tenho me esforçado com ninguém.
As ruas não me acolhem como há tempos
Há tiros na tevê, não em meu peito
Tem dias que até rogo por um destes
É que um olhar vazio não mostra medo.
Nos bares, já não caibo na cadeira
Meu chapéu ainda chama a atenção
E agora colocaram gente chata
Pra dentro e fora do balcão.
Obrigado, meu amigo, por teu ombro
Pelo café, tua força e paciência
Até hoje só te ensinei jogos sujos
Mas contigo é que aprendo o que é ser gente.

Nenhum comentário: