terça-feira, 4 de junho de 2013

Who wants?

"(...) e quem disse que eu não vou viver para sempre? Já pensou?, 'O homem que descobriu a fonte da juventude', não é legal?"
Jack Sparrow



É preciso olhar ao redor e perceber com delicadeza: existem pessoas admiráveis. E os motivos são tantos, e tão diferentes, que não é o caso de partir logo para a reflexão do "Sou ou não sou?". Não ainda.
Parar e pensar; parar e olhar; parar e reparar. Algumas pessoas nos fazem bem apenas por serem unicamente quem são. E esta exclusão dos interesses é um exercício tão difícil no contexto em que vivemos, que fica quase impossível descrever. Não é de hoje que cruzamos o tempo do dou-aqui-recebo-lá, e por isso o impasse.

Veja este exemplo: houve um homem que trabalhou a vida toda em uma ótica. Desde os doze anos - já que na época não havia impedimento para a idade - ali, olhando para as lentes, para as armações, estudando na prática. Foram mais de quarenta anos ininterruptos de trabalho até que se tornou o melhor e mais habilidoso, um artista, pode-se dizer. Dando banho em médicos dos olhos por aí.
Acontece que este homem, por detrás das lentes, possuía uma grande história de vida. E é por este motivo que se tornou admirável: fazia as pessoas enxergarem não só pelos olhos. 
Nos lugares em que se apresentava por todo o país, sequer pegava em uma lente ou desenhava um risco no quadro-negro. Ele estava ali para ensinar vida, para ensinar amor, estrada, sorte, trabalho, ajuda, gentileza, poder, jogos, determinação. Visão.
É claro que este homem existe. Assim como tantos e tantas que estão à nossa volta e que trazem tanta bagagem em sua pouca conversa, basta ouvir com atenção.

Existe uma grande diferença entre ser e convencer que se é. A vida não é uma entrevista de emprego.
Em uma breve conversa é possível identificar quem é. Aquele que, por detrás das olheiras traz sinceridade, não importa sobre o que esteja falando. Basta prestar um pouco mais a atenção, e usar toda a sua intuição. Entregar seu coração a uma conversa, e será possível entender. Este é o significado da honestidade.

No meio da enganação do dia-a-dia, optar pelo princípio: honestidade é transparência. Quando a verdade vem, ela não precisa de nenhum pilar para se manter verdade. Ela vem íntegra, pura, límpida. E torna as pessoas admiráveis.

Pessoas que vivem a verdade irão viver para sempre.

Ainda neste raciocínio, será possível perceber quando algo não é honesto. Se alguém precisa dizer que passou por algo, para mostrar, convencer que passou, então significa que aquele aprendizado não lhe serviu para nada. A experiência não precisa ser apresentada.

Assim é que um nome perdurará até a eternidade. Quando seus feitos forem transmitidos para gerações em seguida e em seguida, de tão grandiosos.

Estar ao lado de gente assim é ter prazer em ouvir. As grandes lições não estão nos cadernos.

Nenhum comentário: