quinta-feira, 17 de abril de 2014

Alive



Há tantos episódios pra contar, que fico mesmo sem reação, sem texto. Não me lembro de ter tido um bloqueio destes assim, tão longo, nos últimos cinco ou seis anos. 

Seis anos é tempo pra caramba.

Associo isso a minha breve parada com o uísque. Mas pode ser que seja só uma coincidência. Tem que ser.

Pois bem. Hoje ele está aqui, só por via das dúvidas.

Na trilha, Late night blues. Preciso me lembrar de falar do blues (me ajude).

Brincar de adulto me trouxe algumas chatices. Até aí, sem novidades, mas é bom reforçar. Chato. Mesmo! Principalmente porque problemas de adulto me afastaram do uísque, dos textos e das madrugadas. Baita covardia, penso. 

Em troca, me aproximaram da música. Preciso me lembrar também de falar da música – como um todo.

Algumas dores me carregaram no colo e por isso essa madrugada vale mais que as outras. E isso começa no que sobrou das minhas referências. Preciso me lembrar de falar do provável afastamento definitivo da minha infância. Isso vai dar uma série de capítulos.

Também tem a ver com o dinheiro. Com o que tenho e com o que não tenho. Preciso me lembrar disso também, oh céus!

Nessa bagunça toda me recordo que havia pensado em fazer textos especiais para minha prole. Dois anos se passaram e continuo só falando de mim. Pensando melhor, acho que isso pode cumprir ainda mais o propósito inicial do que qualquer babaquice que podia ter vindo assim, sem noção.

Por fim, só quero dizer que o intervalo também teve seus pontos positivos. Uma série de transformações, revelações, reencontros, poxa vida. Tomara que eu não transforme isso aqui em uma retrospectiva.

E tomara que você tenha paciência.

Um comentário:

Raiana Reis disse...

Parece que vim aqui no tempo certo das notícias... E que engraçado ver que coincidimos essa fase do silêncio textual. Como você, minha vida adulta tem me afastado um pouco desses devaneios. Me fez lembrar uma parte de um velho texto meu... "A mudez é o susto mais transparente da palavra." Ser adulto é deveras assustador... ;)