sexta-feira, 26 de junho de 2015

Dossiê [2]


O grito é o desespero
a mão que puxa a alma do avesso
Acorrentada no dia a dia.

Envelopes deslizam sob mil portas
O cotidiano dá errado
Mas o café não queima a boca.

A tinta é tóxica
A farinha também
Mas o bolo tem cheiro bom

O palco é o esconderijo
Mais se esconde, mais se mostra
E e só pra quem tem coragem

De se abrir para o mundo em troca de um pouco de paz.

Nenhum comentário: