quinta-feira, 12 de maio de 2016

Post Mem

Bebo todo o vinho
Que desce como sangue
Porque definitivamente
Não deveria estar aqui.
Apesar disso, respeito os fatos
O tempo, os atos
Se ainda estou, ora pois
Há suas razões.
O estado desaba por inteiro
Bagunça a programação,
E enquanto causa raiva em uns
Alívio em outros
Desespero em nós
Insiste em regredir para o século passado
Por que não, retrasado?
Abro então a vitrola,
Tal qual vivesse longe daqui
Nem sei onde, mas sim
Onde queria estar
E sento.
E imagino.
As folhas do outono continuam a cair
Enquanto faço sua trilha sonora
Para aplausos unânimes
De gente que me odeia
Que me evita
Que me inveja e
Que me excita.
E Miles Davis me acompanha
Pra eu poder pensar se você vai ler isso
Daqui a vinte ou trinta anos.
(Ah, como eu queria...)

Bebo todo o vinho.
Porque o segredo já foi revelado
E a vida não seguirá como deveria ser
Ao menos não há quatro ou cinco anos.
Agora então, entendo, o que a pequena abelha me disse
Em um zunido qualquer
Que só fiz uso indevido de quem não merecia
(Ah, que sofrimento!)
E o olho no céu continua lendo minha mente
Insistindo em mostrar o caminho.

Bebo todo o vinho.
Porque preciso abrir minha mente e pensar
Longe, alto, avante, maior, mais forte e mais intenso
Porque joguei tanta coisa fora e fiquei só com o essencial
De propósito, pra testar e ver, que sim, dá pra viver só com isso.
Percebo que enganei todas as dificuldades
A vida toda
Sempre com um atalho, um caminho, um seguro
Um plano que enfim não me permitisse sofrer o que
Talvez
Devesse.
Porque quando pensei que sofria, era só o começo
E foi ali que aprendi com os erros dos outros
Pra poder, assim, desviar as rotas
Encontrar subterfúgios
Seguir assim, camuflando meus erros
Culpando cruelmente inocentes
Inescrupulosamente.

Bebo todo o vinho.
Por enfim, por não saber ao certo
Se isso é o certo ou
Se carregarei pra toda a vida
A culpa.
Ainda sim, há algo maior
Que precisa de mim
E que me chama
Em sonho e em vida
Até com certa frequência
Pra me lembrar que, de fato
Se estou tentando mesmo fugir
Do que a vida colocou pra mim
O sofrimento é inevitável
Mas
Que se lá na frente souber
Que a escolha era essa
Serei então
Feliz ou não
Alguém pleno.
Consciente.
Entregue.
Vívido.
Cabal.
Om.


Nenhum comentário: