segunda-feira, 25 de julho de 2016

Silent Lucidity

No meio de toda aquela confusão, você chegou.
Me trouxe um papel e me mostrou, com um brilho nos olhos e um batom vermelho, me dizendo entre lábios que agora é a hora, que finalmente podíamos ir, juntos, sorrindo e comemorando. Você estava convicta.
Sem entender muito bem, continuei caminhando pela rua. Parecia uma festa popular, ou algo assim. Até que logo cheguei a um pequeno palco de pallets, onde se apresentava um dos meus cantores preferidos. Por Deus, era ele! 
Fiquei e cantei, Palavras e Silêncios, com um gaiteiro chorador e o povo todo no arrasta-pé. Você me abraçou por trás e me beijou a nuca, enquanto permanecia imóvel, ainda sem acreditar que era mesmo aquele show.

Tudo isso, porque quando acordei, procurei por você e demorei pra entender que foi apenas um sonho. Tudo isso porque essa foi sua noite de aniversário, e nem lembrei.

Ou quase.

Nenhum comentário: