quarta-feira, 14 de setembro de 2016

3:25

Parece até que o relógio parou, naquele dia que eu cheguei mais tarde.

Sabe como é, as vezes a gente trabalha demais. E como algum poeta já disse, sofre demais, corre demais, só pra te ver, meu bem.

Eu corri. E cheguei.

Antes mesmo de colocar a cerveja na geladeira, e já escondendo nas mãos o docinho (pra fazer o velho truque de tirar detrás da tua orelha, tão bobinho, e que ainda te faz sorrir) reconheci a voz vindo das caixas de som feias e empoeiradas. 
Era ele: Frank Sinatra. O mesmo, desde aquelas primeiras noites. Desta vez, embalando seu sono, toda encaixada no sofá. 

Deve ser mesmo difícil esperar.

Entrei de mansinho, tirei os sapatos, e parei por um instante ali, de frente pra parede que você resolveu pintar naquele dia, quando acordou toda inspirada. 

Te olhei por alguns minutos, encantado pelo seu sono dos anjos, enquanto em sua volta só o que se via eram telas e os diferentes tipos de lápis todos espalhados pelo tapete.

Sentei na beirada do sofá e recolhi os desenhos silenciosamente. É, você desenha. Até nisso me perco ao falar, quando me perguntam o que me atraiu em você.

Eis que dentre todas as folhas, uma me chamou a atenção, me fazendo até derrubar as primeiras. Parecia-se mais com uma foto, de tão rica e cheia de detalhes. Cheio de alma, aquele desenho. A sua alma.
Era uma foto nossa, de alguns anos atrás. Seus cabelos mais curtos, os meus mais longos, o mesmo sorriso. Disfarçadamente escondido pelas suas mãos na minha barba, enquanto a outra envolvia meu pescoço. Era aquela foto, que eu nunca te dei, egoísta que só. 

Se eu bem te conheço desde aquele tempo, você tratou de fazer a sua. Ainda sabendo como você gosta de detalhes, o elogio: ficou impecável. 

Passei minhas mãos grandes pelo seu rosto e cabelos, e ajeitei o edredom velhinho que você tanto gosta, cobrindo seus ombros. Você sorriu, tentou dizer algo, sem sucesso. Ri o mesmo sorriso bobo da foto de tanto tempo e do desenho de minutos atrás. 

Olhei no relógio, ja eram três e vinte e cinco.

Agradeci.

Nenhum comentário: